Rua da Lapa, nº 1 | 4490-520 Póvoa de Varzim

Plano de Contingência

PLANO DE CONTINGÊNCIA

“A Filantrópica – Cooperativa de Cultura, C.R.L.”, consciente do seu papel junto da comunidade, e de todos os que connosco colaboram e visitam, acompanha de perto todas as orientações e recomendações das autoridades oficiais, por forma a assegurar continuamente as adequadas condições de trabalho, bem como de todos os participantes nas mais diversas iniciativas levadas a efeito, no sentido de proporcionar uma maior segurança, tendente a minimizar o impacto da pandemia com vista ao regresso gradual da sua atividade.

Dentro dos espaços da Cooperativa devem ser cumpridas todas as medidas aqui apresentadas, nomeadamente de distanciamento social, higiene das mãos e etiqueta respiratória, em conformidade com as regras definidas pelas autoridades de saúde.

Encaramos conscientemente o nosso compromisso junto de todos aqueles que connosco trabalham e usufruem das nossas atividades, pelo que envidaremos todos os esforços no sentido de assegurar um ambiente seguro para todos.

ÍNDICE

1. Medidas de prevenção
1.1 Transmissão por Covid
1.2 Medidas a ter em conta para evitar propagação
1.3 Acesso às instalações
1.4 Equipamento de proteção individual
1.5 Espaço onde decorrerão as atividades
1.6 Oficinas de arte
1.7 Conferências e Exposições
1.8 Iniciativas no exterior

2. No caso de suspeita de contaminação pelo novo Coronavírus
2.1 Procedimento a adotar
2.2 Definição de área de isolamento
2.3 Na situação de caso suspeito validado
2.4 Divulgação
2.5 Contactos

1. Medidas de prevenção

1.1 Transmissão por Covid

Pelo que é conhecido de outros coronavírus, a transmissão de COVID-19 acontece quando existe contacto próximo (perímetro até 2 metros) com uma pessoa infetada. O risco de transmissão aumenta quanto maior for o período de contacto com uma pessoa infetada. As gotículas produzidas quando uma pessoa infetada tosse ou espirra (secreções respiratórias que contêm o vírus) são a via de transmissão mais importante. Existem duas formas através das quais uma pessoa pode ficar infetada:

  • As secreções podem ser diretamente expelidas para a boca ou nariz das pessoas em redor (perímetro até 2 metros) ou podem ser inaladas para os pulmões;
  • Uma pessoa também pode ficar infetada ao tocar em superfícies ou objetos que possam ter sido contaminados com secreções respiratórias e depois tocar na sua própria boca, nariz ou olhos.

1.2 Medidas a ter em conta para evitar propagação

Critérios Clínicos:

  • Febre, tosse ou dificuldade respiratória.

Critérios Epidemiológicos:

  • História de viagem para áreas com transmissão comunitária ativa nos 14 dias anteriores ao início de sintomas;
  • Contacto com caso confirmado ou provável de infeção por COVID-19 nos 14 dias antes do início dos sintomas;
  • Profissional de saúde ou pessoa que tenha estado numa instituição de saúde onde são tratados doentes com COVID-19.

1.3 Acesso às instalações

Os visitantes deverão:

  • Higienizar as mãos com solução base de álcool no momento de entrada e saída das nossas instalações;
  • “A Filantrópica” possui, em todas as suas entradas e dentro dos seus espaços, dispensadores de solução à base de álcool, disponíveis para todos os que nos visitam;
  • Respeitar a distância física de, pelo menos 2 metros, entre pessoas não coabitantes;
  • Evitar tocar em superfícies e objetos não necessários;
  • É obrigatório o uso de máscara;
  • Não é permitida a ocorrência de situações de espera para atendimento no interior das instalações.

Cada visitante é responsável pela aquisição e utilização dos seus equipamentos de proteção individual. Tais equipamentos não podem ser partilhados.

1.4 Equipamento de proteção individual

Todos os professores/monitores responsáveis pelas atividades, bem como os colaboradores e visitantes estão obrigados ao uso de máscara, cuja aquisição será da sua inteira responsabilidade.

As máscaras faciais devem ser consideradas como medida complementar e não dispensam outras práticas preventivas estabelecidas obrigatoriamente, como: distanciamento físico, etiqueta respiratória, higienização das mãos e ausência de toque facial.

 

1.5 Espaço onde decorrerão as atividades

Para que as atividades possam decorrer dentro da maior segurança, “A Filantrópica” adotou os seguintes procedimentos:

  • Reforço da higienização e desinfeção dos espaços, nomeadamente:
  • Limpeza regular das superfícies planas, nomeadamente das mesas de trabalho onde se realizarão as atividades (oficinas), bem como dos respetivos equipamentos;
  • Desinfeção completa, sempre que ocorra alternância de grupo, de forma a assegurar a adequada higienização;
  • Disponibilização, nos espaços de realização de atividades, de dispensadores de gel desinfetante à base de álcool e de toalhetes de papel;
  • Renovação de ar das salas e espaços fechados com regularidade, abrindo janelas e/ou portas, de modo a que a circulação de ar se faça com relativa facilidade. Este procedimento é tido sempre entre atividades e grupos;
  • Não é permitido o consumo de alimentos/bebidas no interior das salas.

 

1.6 Oficinas de arte

A cada grupo será destinado um espaço específico para realização da respetiva atividade.

Cada aluno terá a sua mesa individual de trabalho, distanciada de pelo menos 1 metro das restantes, dando, assim, cumprimento ao distanciamento físico recomendado.

Sempre que seja indispensável a partilha de material, o mesmo será desinfetado no início e no final de cada utilização, e só depois ficará disponível para utilização do grupo seguinte.

 

1.7 Conferências e Exposições

Nos eventos em sala, para além do cumprimento das regras de acesso já descritas, o número de participantes não poderá exceder os lugares devidamente assinalados, por forma a assegurar o devido distanciamento social (2m entre pessoas não coabitantes).

Deverá ser garantida uma distância mínima de, pelo menos, 2m entre a boca da cena e a primeira fila de espectadores.

Deverá ser respeitado o circuito de circulação assinalado.

Os participantes deverão sair de forma ordeira, em fila, iniciando pela fila de trás, seguindo-se-lhe todas as outras.

1.8 Iniciativas no exterior

Nas iniciativas a realizar no exterior da Cooperativa, o número máximo de participantes estará sujeito a uma limitação de 25 a 30 pessoas, consoante a especificidade da atividade a realizar.

Nos referidos grupos, orientados por um guia, é obrigatório o uso de máscara e serão distribuídos kits individuais áudio, por forma a que se consiga acompanhar a explicação do guia sem deixar de respeitar o devido distanciamento físico (1,5m entre participantes).

2. No caso de suspeita de contaminação pelo novo Coronavírus

2.1 Procedimento a adotar

Caso se verifique a presença de um visitante, colaborador ou titular de órgão diretivo com sintomas suspeitos de contaminação (febre, tosse, dificuldades respiratórias, outras) pelo novo coronavírus, e com o objetivo de evitar a propagação da doença, deverá proceder-se da seguinte forma:

  • A pessoa que detete a ocorrência deverá de imediato isolar a criança ou adulto na sala de isolamento identificada no 1.º piso;
  • Dar conhecimento a um responsável da Cooperativa (917 614 118 / 963 074 211 / 966 097 493), para que sejam tomados os devidos procedimentos, nomeadamente:
  • Contactar o SNS24 (808 24 24 24), de forma a receber as instruções mais adequadas;
  • Contactar a Autoridade de Saúde local/Equipa de Saúde Pública: Autoridade de Saúde da Póvoa de Varzim e Vila do Conde – Dr. Luís Miranda de Castro (252 662 650);
  • Se necessária a vinda da assistência médica (INEM), deverá ser facilitado o acesso do pessoal de socorro ao local;
  • Após a saída da pessoa infetada/suspeita de estar infetada do local de isolamento, deverá ser dada indicação aos serviços de limpeza para que se proceda à higienização total do edifício;
  • Deve-se aguardar pelo menos 20 minutos depois de a pessoa doente, ou suspeita de estar doente, sair da área de isolamento para se dar início aos procedimentos de limpeza da área de isolamento. Só após a higienização do edifício, este poderá ser novamente utilizado;
  • Todos os encarregados de educação deverão ser informados em caso de existência de um caso suspeito em menor na Cooperativa, em total respeito pela proteção de dados da pessoa infetada.

2.2 Definição de área de isolamento

Caso se verifique a presença de uma pessoa com sintomas suspeitos de contaminação pelo novo coronavírus, e com o objetivo de evitar a propagação da doença, a pessoa em causa será instalada numa área de isolamento visando impedir que outras pessoas possam ser expostos à infeção.

Na “Filantrópica – Cooperativa de Cultura, C.R.L” foi definida como área de isolamento a sala identificada “Sala de Isolamento”, situada no 1.º piso.

Esta área ficará equipada com:

  • Telefone (se necessário);Cadeira para descanso e conforto do suspeito de infeção por COVID-19, enquanto aguarda a validação de caso e o eventual transporte pelo INEM;
  • Água e alguns alimentos (se necessário);
  • Contentor de resíduos (com abertura não manual e saco de plástico);
  • Solução antisséptica de base alcoólica;
  • Toalhetes de papel;
  • Máscara(s) cirúrgica(s);
  • Luvas descartáveis;
  • Termómetro.

Nas proximidades existe uma instalação sanitária devidamente equipada, nomeadamente com doseador de sabão e toalhetes de papel, para a utilização exclusiva do caso suspeito.

  • A pessoa doente deverá permanecer na área de isolamento (com máscara cirúrgica, desde que a sua condição clínica o permita) e serão cumpridas as orientações transmitidas pela linha SNS24;
  • O acesso de qualquer outra pessoa à área de isolamento fica interditado, exceto ao responsável principal.

2.3 Na situação de caso suspeito validado

Se o caso não for confirmado, este fica encerrado para COVID-19, sendo aplicados os procedimentos habituais da unidade orgânica, incluindo limpeza e desinfeção da área de isolamento;
Se o caso for confirmado, a área de isolamento ficará interditada até à validação da descontaminação (limpeza e desinfeção) pela Autoridade de Saúde Local. Esta interdição só poderá ser levantada pela Autoridade de Saúde Local.

2.4 Divulgação

O Plano de Contingência de “A Filantrópica – Cooperativa de Cultura, C.R.L” será enviado, via correio eletrónico, ao Delegado de Saúde e será divulgado na página eletrónica da Cooperativa (www.afilantropica.pt)

2.5 Contactos

“A Filantrópica – Cooperativa de Cultura, C.R.L.”
Tel.: 252 624 962 | 936 713 580
e-mail: afilantropica@gmail.com
Rua da Lapa, n.º 1, 4490-520 Póvoa de Varzim
www.afilantropica.pt

ACES Grande Porto IV – Póvoa de Varzim/Vila do Conde
Unidade de Saúde Pública
Tel.: 252 662 650
e-mail: usp.povoa-vconde@arsnorte.min-saude.pt
Praça Luís de Camões, nº 9 – 3º andar,  4485-719 Vila do Conde

No âmbito da orientação n.º 006/2020, de 26/02/2020, da Direção-Geral da Saúde (DGS), o Conselho de Administração de “A Filantrópica – Cooperativa de Cultura, C.R.L” aprovou, no dia 23/11/2020, o Plano de Contingência Interno, que se aplica a todas as suas Unidades Orgânicas, nomeadamente Serviços Centrais, Oficinas de Artes, Galeria de Exposições, Conferências, Colóquios e Debates e às atividades no exterior.